Americanos pedem o “Fim da Guerra às Drogas”

Carta aberta ao Presidente Barack Obama

Enquanto a Câmara dos Deputados Brasileira se prepara para votar o projeto de lei que propõe intensificar ainda mais a militarização e a repressão no combate às drogas, nos EUA um grupo de ativistas, artistas, intelectuais, políticos, empresários, atletas e líderes espirituais publicaram hoje uma carta aberta ao presidente Barack Obama pedindo o “fim da guerra às drogas”.

A carta, assinada por 175 personalidades de diversos setores da sociedade, entre eles o empresário Sir Richard Branson, o rapper Russel Simmons (Uncle Rush), o ator Will Smith, o cineasta Michael Moore e o físico Deepak Chopra,  pede, entre outras coisas, mais flexibilidade nas sentenças, redução de penas padrão para crimes não violentos relacionados às drogas e liberdade para que juízes possam deliberar punições proporcionais à dimensão do crime julgado.

Através do documento, os assinantes ainda parabenizam o Presidente pelos programas de reintegração de ex detentos à sociedade e pelos esforços que Obama vem demonstrando no sentido de focar as políticas anti-drogas em programas de educação e prevenção, fugindo do paradigma “repressão-punição” que, ainda segundo o documento, só produziu o crescimento exponencial da população carcerária no país nos últimos 30 anos.    

O modelo de “intervenção e rehabilitação” sugerido na carta aberta ao Presidente e defendido também pela Comissão Global de Políticas Anti Drogas das Nações Unidas é uma alternativa à chamada “Guerra às Drogas” e vem servindo como base para a implementação de novas políticas em países como Espanha, Portugal e outros.

Logo após a publicação da carta, a “hashtag” #endthewarondrugs (fim da guerra às drogas) chegou ao topo dos tópicos mais vistos no Twitter nos EUA e tomou proporções globais, com personalidades e ativistas de vários países se pronunciando a favor da iniciativa. “A Guerra às Drogas foi liderada pelos EUA durante décadas e esse esforço urgente em mudar tal paradigma merece a atenção de toda a comunidade internacional”, declarou Kasia Malinowska-Sempruch, diretora da Sociedade Aberta - Programa Global de Políticas sobre Drogas.   

Já no Brasil, a votação do projeto de lei do Deputado Osmar Terra (PMDB), que deve acontecer nesta quarta-feira, vai de encontro à essa tendência. Entre outras mudanças, a lei propõe a internação compulsória de usuários, o aumento da pena mínima para crimes de tráfico de drogas e uma nova classificação das substâncias ilícitas baseada nos diferentes graus de dependência.