Autoridades espanholas fornecem cartões gratuitos para esmagar cocaína

O cartão para esmagar cocaína está a ser distribuído em Bilbao, Espanha

O cartão para esmagar cocaína está a ser distribuído em Bilbao, Espanha (Fonte: Twitter - @Bikoki007)

Autoridades da cidade de Bilbao, localizada no norte de Espanha, estão a distribuir cartões que servem o propósito de esmagar cocaína previamente à sua inalação. Esta iniciativa vem no sentido de reduzir os potenciais danos resultantes da inalação nasal da substância, nos quais se inclui o alastramento de hepatite C.

O cartão de plástico apresenta as mesmas dimensões que um cartão de crédito, estando a ser distribuído segundo o esquema concebido pelo departamento de saúde da Camara Municipal de Bilbao. O cartão possui em si escrito, um aviso direcionado àqueles que inalam drogas: “se não for bem esmagado, pode danificar as suas narinas”.

Em declarações ao jornal espanhol El Confidencial, oficiais de saúde reforçaram a necessidade da implementação desta iniciativa de modo a “minimizar os riscos [associados ao consumo de drogas]”. Igualmente, os mesmos argumentam que a distribuição do cartão está a proceder-se de forma “seletiva e personalizada”, de modo a que não aparente que as autoridades estejam a sancionar o consumo de drogas dentro do público em geral.

De facto, segundo o El Correo, um periódico proeminente no contexto de Bilbao, a distribuição do carão não se está a estender ao público geral. O cartão está apenas disponível para adultos que tenham passado pelo menos três “filtros”. De modo a receber um cartão, um indivíduo necessita de demonstrar interesse com uma visita a uma instalação de redução de danos móbil, na qual pode encontrar a assistência de profissionais de saúde, pedir informações sobre medidas de redução de danos, e por fim submeter-se a uma “entrevista pessoal” relativamente ao seu consumo de drogas.

Indivíduos que recebem o cartão, são também providenciados com panfletos sobre medidas de redução de danos, nas quais se incluem detalhes sobre a importância de métodos para um consumo mais seguro para a redução do risco de contrair hepatite C. Provas científicas sugerem que hepatite C pode ser transmitida através da partilha de uma palhinha para a inalação, com um indivíduo que já se encontre infetado.

O Fundo para Hepatite do Reino Unido emitiu um aviso sobre o assunto: “Ao partilhar uma nota enrolada ou uma palhinha para a inalação de drogas, arrisca-se a expor-se a si próprio e aos outros à contração de hepatite C. Tal torna-se mais provável, caso o seu nariz esteja a sangrar. A cocaína em particular trata-se de uma substância muito alcalina e corrosiva para a membrana fina do nariz. Caso uma gota de sangue, por mais pequena que seja, muitas vezes pequena demais para ser detetada, se transfira para a palhinha ou nota, é possível que contacto de sangues aconteça através da membrana nasal.”

Assim, caso um indivíduo esmague a cocaína minuciosamente previamente à sua inalação, este reduz a probabilidade de sangramento nasal e a potencial transmissão de hepatite C.

Em declarações à TalkinDrugs, Luiza Marquez da ENLACE, uma federação espanhola de organizações que defende a proliferação de medidas de redução de danos, afirma que este desenvolvimento “está em concordância com direitos humanos” pois “não podemos travar indivíduos de consumirem drogas, mas podemos evitar alguns danos”.

Igualmente, Marquez defendeu que “Consideramos extremamente necessário fornecer este tipo de informações, especialmente aos jovens, de modo a evitar problemas mais sérios como mortes e doenças graves”.

A Câmara Municipal de Bilbao argumentou que providenciar o cartão em questão trata-se de uma parte de um esquema piloto, e que pode vir a ser estendido, após a análise de resultados da sua implementação.