Vice-Prefeito de Paris Propõe Ônibus para Uso de Crack

Fonte: Wikimedia

O vice-prefeito de Paris propôs, para a saúde, a abertura de quatro novas salas para o consumo de drogas mais seguro na cidade, além de um ônibus no qual as pessoas podem fumar crack.

As salas para consumo de drogas (DCRs - Drug consumption rooms) fornecem um ambiente seguro e estéril para usuários de drogas na presença de profissionais da saúde. Também é oferecido oportunidades para grupos marginalizados – especialmente pessoas sem teto – acessarem os serviços de saúde e informação sobre as opções de tratamento que, de outro modo, eles não teriam conhecimento. Dois DCRs já existem na França; um no Hospital Lariboisière de Paris, visitada por aproximadamente 165 pessoas todos os dias, e outro na cidade de Estrasburgo.

A vice-prefeita Anne Souyris propôs a abertura de mais quatro em Paris, assim como a introdução do serviço de ônibus que funcionária como um DCR móvel. Atualmente, os DCRs na França são direcionados a pessoas que injetam drogas como heroína, mas a proposta do ônibus seria primariamente para pessoas que fumam crack. As autoridades estimam que haja mais de 500 pessoas que fumam crack publicamente em Paris, segundo relatórios do The Connexion.

Souyris disse que o uso de crack está se tornando cada vez mais predominante em Paris, e que as pessoas que usam a droga deveriam ser capazes de fazê-lo legalmente nos DCRs existentes, assim como nos propostos. Estranhamente não é permitido que visitantes fumem crack nas instalações disponíveis, a menos que eles já tenham se injetado drogas lá anteriormente; ou seja, as pessoas que fumam crack, mas não injetam outras drogas, não podem usar os espaços oferecidos.

“Nós precisamos mudar a lei”! Souyris insistiu, pois “o consumo de crack é alarmante no nordeste de Paris”.

Souyris diz que propôs o ônibus para criar um espaço de acesso fácil para pessoas de diferentes áreas que não têm disponibilidade ou capacidade de viajar para outra localização. “Os fumantes de crack são tão doentes que não conseguem ajuda, nós precisamos ir até eles, por isso a ideia do ônibus” ela alegou.

Benjamin Jeanroy – cofundador e chefe da política de drogas na organização de reforma francesa “action tank” ECHO – disse ao TalkingDrugs que as políticas atuais estão falhando em abordar efetivamente o uso público de crack em Paris:

“Há algumas estações de metrô na cidade onde muitas pessoas estão usando crack. Isso não é seguro para os usuários, e pode também perturbar a paz. Precisamos tirar as pessoas das estações, mas somente isso não resolverá o problema – apenas deslocará as pessoas. A única solução é ter mais lugares seguros para as pessoas usarem crack. A proposta do ônibus é uma ideia brilhante se executada propriamente.”

“No entanto”, Jeanroy alerta, “a atmosfera política atual e futura não augura nada de bom para essas novas propostas”.

Os quatro DCRs e o ônibus proposto pela Souyris requerem autorização do ministério nacional da saúde e do conselho da cidade antes de serem autorizados a abrir. Como a proposta vem de uma figura sênior da Prefeitura, parece mais provável de receber aprovação no nível da cidade, porém a aprovação nacional pode ser mais complicada. A autorização do primeiro DCR de Paris foi concedida pelo governo do ex-presidente François Hollande, que vem do mesmo partido da prefeita de Paris, Anne Hidalgo. Por outro lado, o atual presidente Emmanuel Macron tem uma relação notoriamente tensa com a prefeita Hidalgo, o que pode ser ainda mais agravado pelas próximas eleições para prefeito em 2020.

Os DCRs operam atualmente em sete outros países da Europa, Canadá e Austrália; ninguém nunca morreu de overdose dentro deles. Além de ajudar pessoas que usam drogas, os DCRs proporcionam uma gama de benefícios para a sociedade em geral, incluindo a redução do crime nas ruas, a redução da disseminação de doenças, e a melhoria do acesso aos serviços de emergência.